A Biblioteca Prof. Arlindo Corrêa da Silva recebeu esse nome como homenagem ao fundador do Ramacrisna. Com 194 m², possui acervo de literatura infanto-juvenil e adulto com mais de 6.000 livros Catalogados. Atende todos os alunos matriculados no Instituto Ramacrisna, funcionários e toda a comunidade do entorno da Instituição.

Em 2010 com o apoio do Instituto C&A, passou a fazer parte da Rede de Bibliotecas Públicas e Comunitárias de Betim, Rede Estadual de Bibliotecas Comunitárias Sou de Minas Uai e da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias.

                           

Em março de 2015 teve seu projeto selecionado e patrocinado por meio de edital da Fundação Biblioteca Nacional, ligada ao Ministério da Cultura e ao Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, assim, todo o espaço foi inteiramente renovado utilizando mobiliários sustentáveis, feito com palets de madeira. Além disso, todo o espaço foi customizado pelas crianças, jovens e pelas artesãs da Futurarte. As crianças do Centro de Apoio Educacional Ramacrisna – CAER fizeram desenhos reutilizando papéis, o grupo de jovens Antenados customizaram armários e prateleiras reaproveitando revistinhas em quadrinho e as artesãs da Futurarte reaproveitaram sobras de tecido utilizadas na produção. O intuito é deixar o espaço mais alegre, colorido, sustentável e com a cara do público que frequenta o espaço.

Em 2017 a Biblioteca passou a ser apoiada pela Fundação Itaú Social, que adotou o programa “Prazer em Ler” – PPL, por meio da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias passando a ser o apoiador até os dias atuais.

Em 2020 com o apoio da Fundação Dorina Nowill, começou a ser montado um espaço com acervo em braile e áudio livros para atender os leitores com deficiência – PCD. E ainda com o apoio do Itaú Social através do programa ” Leia para uma criança” foram distribuídos 3000 livros nas cidades de Betim, Juatuba e Esmeraldas.

A principal característica da Biblioteca do Ramacrisna é que ela não se restringe a paredes, uma vez que possui vários projetos de incentivo a leitura itinerante, além de usar todo espaço da Instituição, que possibilita exercer a prática da leitura de forma agradável, confortável e prazerosa, utilizando os jardins, os gramados debaixo das árvores e quiosques.

“Mala de Leitura”

O projeto foi premiado em 2013 como o melhor Projeto de Incentivo a Leitura de todo o Brasil pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil e em 2018 foi uma das 12 iniciativas vencedoras, escolhida por voto popular, do concurso Leitura do Bem realizado pela TV Alterosa e jornal Estado de Minas em parceria com a Livraria Leitura. Esse projeto consiste em incentivar a leitura nas instituições que não possuem nenhum tipo de acervo, como Escolas públicas, Creches comunitárias, Unidades Básicas de Saúde, etc. A Mala comporta aproximadamente 40 livros que se se transforma em uma “estante expositora” quando é aberta, já que a maioria das instituições atendidas também não conta com um espaço adequado para a exposição dos livros. A entrega da Mala é marcada com muita festa, quando sempre apresentamos uma peça teatral baseada em alguns dos livros da estante. Os livros são renovados mensalmente.

Em 2018 por meio do Projeto Rota do Saber, foram entregues 71 malas de leitura na cidade de Betim, sendo 69 para escolas municipais, 01 para a Secretaria Municipal de Educação e 01 para o CRAEI- Centro de Referência e Apoio a Educação Inclusiva. Ao todo foram doados 2.840 livros beneficiando 41.000 alunos.

Em 2019, a Biblioteca foi selecionada para participar do Criança Esperança parceria Unicef-Rede Globo com o projeto Alegria de Ler, quando foram entregues 16 malas de leitura para 5 creches e 11 escolas das cidades de Betim, Juatuba, Mateus Leme e Esmeraldas. Foram doados 960 livros que beneficiaram 5.627 alunos.

Em 2020 a Biblioteca passou a contar com uma atividade lúdica, a Ludoteca, utilizando Jogos de Tabuleiro modernos, para estimular diversas habilidade s e competências dos leitores, além de proporcionar momentos de socialização e interação entre eles.

“Sexta Literária”

Sabendo que o aluno tem pouco contato com a leitura em seu ambiente familiar e por isso apresenta dificuldades de aprendizagem na escola, foi criada uma ação que envolve toda a família. O aluno recebe uma bolsa confeccionada em material reciclado para transportar o livro de modo seguro até sua residência, podendo levar livros para todos da casa, mãe, pai, irmãos, etc. O leitor tem toda a liberdade de escolher os próprios livros na estante e pode ficar com eles por uma semana antes de fazer a devolução.